A segurança em condomínios é uma preocupação cada vez mais frequente entre moradores e administradores prediais. O problema atinge até mesmo os edifícios que já possuem um sistema de segurança. Somente na cidade de São Paulo, as ocorrências de roubos e furtos em condomínios aumentaram 172% entre 2015 e 2016, segundo apurações da GloboNews.

Para que você consiga lidar com essa situação da melhor maneira possível, abordaremos 5 dicas sobre como aumentar a segurança do seu condomínio. Confira!

1. Instale sistemas de vigilância alinhados à arquitetura predial

O monitoramento deve ser realizado de forma sistemática e ágil. Por isso, é preciso conhecer sistemas variados para identificar o que melhor se enquadra à realidade do condomínio. Em conjunto com os equipamentos de vigilância, a arquitetura do prédio — incluindo a ambientação paisagística — precisa ser elaborada ou reformada para favorecer a segurança do local.

São cuidados como iluminação, favorecimento do monitoramento (as câmeras não podem ser encobertas por estruturas ou folhagens) e dimensionamento dos ambientes de acordo com o perfil e fluxo de pessoas.

2. Invista na qualificação dos colaboradores

Não adianta contar com os melhores equipamentos de controle se quem os opera não está qualificado para realizar as tarefas de forma efetiva. Assim, desde a contratação da mão de obra, procure pessoas idôneas e que possuam o perfil adequado para a função. Além disso, não deixe de investir em capacitação e treinamento.

3. Controle o acesso ao condomínio

As regras de acesso precisam ser rígidas para que seja possível melhorar a segurança em condomínios. Afinal, é na entrada de pessoas estranhas ao ambiente que surgem os principais problemas.

Por isso, a orientação para as equipes responsáveis por essa tarefa precisam ser claras e delimitadas — ou seja, é imprescindível que sejam seguidas estritamente. Mesmo que um visitante seja frequente, sua permissão de entrada precisa ser sempre validada com o morador. Não se pode abrir concessões quanto a essa regra.

4. Elabore uma política de segurança

A formulação de um documento contendo todas as normas e regras de segurança é uma medida que pode facilitar muito o acompanhamento dos padrões estabelecidos, tanto por parte dos funcionários quanto por parte dos moradores.

Esse manual deve conter, de forma objetiva e clara, quais são as atribuições e contribuições de cada um para a melhoria da segurança em condomínios. Residentes também fazem parte dessa estrutura e precisam ser conscientizados sobre a importância de aplicação das regras, e sobre os cuidados individuais que precisam tomar.

Por exemplo, os condôminos, ao identificarem qualquer movimentação estranha nos arredores do condomínio, precisam ter um protocolo a seguir, como a comunicação com a equipe de segurança.

5. Vistorie, renove e adapte as instalações

Pode não parecer, mas o cuidado com os ambientes do condomínio são fundamentais para o conjunto de ações de segurança. Um exemplo é a guarita, que precisa oferecer segurança absoluta ao porteiro. Isso pressupõe uma construção completa, capaz de atender a todas as necessidades do colaborador para que ele não se ausente do local.

Ainda em relação à guarita, é importante que os vidros sejam blindados e que o acesso a ela seja restrito às pessoas competentes. Estando em um espaço seguro, com acesso a todos os recursos de vigilância e de alerta, o responsável pelo ingresso e saída de pessoas do ambiente não corre o risco de ser rendido ou ameaçado.

Da mesma forma, áreas estratégicas do condomínio precisam ser vistoriadas e adaptadas tanto quanto for necessário para que previnam a entrada de estranhos. Além da conscientização dos condôminos, é importante que o estacionamento e outros pontos de acesso sejam avaliados quanto aos riscos de segurança — o que pode ser verificado por uma equipe especializada.

Como você pôde ver, a segurança em condomínios depende de ações integradas, portanto, verifique se todas as normas estão sendo aplicadas e se as instalações do condomínio oferecem o cuidado necessário aos moradores.

Compartilhe este conteúdo nas redes sociais e dissemine, entre amigos e vizinhos, as boas práticas de segurança. Afinal de contas, elas dependem do engajamento de todos!

Fernando Rolim

Desenhista nas horas vagas, sempre planeja suas viagens baseadas em roteiros arquitetônicos.

Sem Comentários