5 maneiras para otimizar o regimento interno do condomínio

Entre as várias obrigações de um síndico, estão a manutenção e a observação do cumprimento do regime interno do condomínio, aquele conjunto de regrinhas básicas que são de extrema importância para a harmonia e convivência entre os moradores, especialmente nas áreas comuns.

A busca por otimizar a aplicação e o cumprimento desse regulamento requer esforços pontuais, trazendo resultados positivos para a gestão. Mas, calma! Essa não precisa ser uma tarefa tão árdua.

Este post vai mostrar de forma clara, por meio de 5 dicas, o que o síndico pode fazer para manter tudo em ordem, delegando tarefas e atuando de forma direta e precisa. Confira!

1. Conhecer o regime interno do condomínio

Todo condomínio tem o seu próprio conjunto de regras em nome da boa convivência e da manutenção do bem-estar, da acessibilidade e da segurança de todos os moradores. Essas normas bem definidas precisam ser dominadas na íntegra pelo síndico para que ele consiga exercer bem suas funções.

Um novo síndico, por exemplo, que certamente não conhece ainda o regime interno do condomínio, já inicia sua gestão com um dever de casa: destrinchar cada pormenor das regras. Quando há o conhecimento completo das normas, fica muito mais fácil tomar decisões ligadas à administração, mostrando estar por dentro de tudo, como deve ser.

Outra necessidade muito clara é relacionada a atuação no dia a dia. Parte do trabalho do síndico é estar de olho em tudo que está acontecendo, para assim intervir ou planejar comunicados e orientações aos moradores de forma imediata. Esse tipo de atuação só pode ser feito quando há pleno domínio do regime.

2. Delegar tarefas necessárias aos funcionários

Como síndico, você sabe que também é sua função orientar da melhor forma e fiscalizar o trabalho de todos os funcionários. Os zeladores, porteiros, equipe de limpeza, salva-vidas e demais colaboradores do condomínio respondem a você. Por isso, é preciso delegar funções de forma eficiente.

Para fazer isso de forma adequada, você deve primeiro pensar nas necessidades do condomínio, avaliando as áreas que precisam de atenção, as demandas que devem ser atendidas ou qualquer outra necessidade. Um bom planejamento ajuda muito nessa etapa. Relacione todas as atividades que precisam ser desempenhadas, para assim delegar os funcionários.

Reúna os colaboradores do condomínio e explique detalhadamente o que você precisa, se mostrando sempre compreensivo e flexível. Afinal, o pessoal precisa estar ao seu lado e ver você como um líder, não como um chefe mandão. Assim, você será tido como um síndico gente boa e justo, delegando as funções de forma clara e cobrando na medida certa.

3. Identificar erros e inconformidades

Viu algo que não agradou muito e que foge ao regime interno do condomínio? Não se desespere! Isso pode acontecer — e é até muito comum. Nesse momento, você vai precisar de jogo de cintura para contornar a situação, buscando entender o que houve, por que aconteceu e o que pode ser feito para que o problema não se repita.

Se os erros forem dos funcionários do condomínio, convoque uma reunião ou até mesmo um bate-papo mais descontraído e deixe claro o que não estava correto, orientando de forma objetiva o que você precisa. Lembre-se de que uma comunicação eficiente é fundamental para um síndico. Só assim você vai se fazer entender.

Agora, se o problema é o descumprimento de alguma regra do regimento por parte de algum ou alguns moradores, você precisa se comunicar de forma ampla. Use o mural de recados para reforçar algum ponto da regra que precise de atenção especial, sem direcionar o comunicado a alguém específico.

Entretanto, se o problema for grave ou até mesmo um comportamento passível de multa, aí não vai ter jeito. Você vai precisar se dirigir até o morador e comunicar a ele sobre o problema. É preciso ter muita calma e clareza, reforçando sempre o regime interno do condomínio e se embasando pelas regras.

4. Estar aberto a mudanças e adaptações

Nada é para sempre, nem mesmo as regras do regime interno do condomínio. É sempre bom revisar os termos, principalmente se há algum tipo de clamor por parte dos condôminos. Como bom síndico, é seu papel considerar alguma alteração que vá beneficiar o condomínio como um todo, desde que isso não seja nenhum absurdo, é claro.

Caso veja uma necessidade de alteração, inclusão de alguma norma ou qualquer outro tipo de mudança, a melhor maneira de fazer isso é em conjunto, contando com o aval dos moradores para manter a harmonia. Sendo assim, convoque uma reunião e esteja aberto a ouvir o que eles têm para falar.

O bom relacionamento com os condôminos também passa por uma postura mais flexível, sempre aberto a ouvir o que eles têm a dizer. Afinal, são os moradores que precisam seguir o regime interno do condomínio. De forma democrática e justa, tudo pode ser resolvido com eficiência.

5. Comunicar regras com eficiência

Do mesmo modo que você, síndico, está por dentro de todo o regime interno do condomínio, os moradores também precisam estar. Como cobrar deles uma postura adequada e harmoniosa nas áreas comuns sem que eles saibam todas as regras em detalhe? É verdade que algumas orientações são de boa convivência e nem precisariam ser ditas. Porém, nem todas são assim.

Um bom síndico deve se preocupar em fazer com que os moradores tenham acesso facilitado ao regime interno, sempre destacando nos murais de aviso as regras mais importantes e que precisam de maior atenção. Isso pode ser feito também em um sistema digital ou até mesmo por grupos de WhatsApp. O que importa é que todos sejam bem informados.

Quanto mais as regras forem difundidas, maior será o cumprimento delas e, automaticamente, maior será o embasamento e a defesa do síndico na hora de cobrar qualquer tipo de descumprimento. Se o regimento está à disposição para todos, quem não o segue precisa ser responsabilizado da forma adequada.

Em resumo, cumprir o regime interno do condomínio é um dever de todos. Porém, para que isso seja feito, o síndico precisa dominar as regras, deixá-las claras aos moradores e direcionar os esforços dos funcionários para que tudo esteja em harmonia.

Quer mais dicas para fazer uma boa gestão como síndico? Siga nossos perfis nas redes sociais — estamos no Facebook, LinkedIn e Instagram — e acompanhe nossos posts!

Katia Sano

Arquiteta formada na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 1989, é sócia-diretora da DIRETÓRIO DA ARQUITETURA & URBANISMO desde sua fundação, em 1993.

Sem Comentários