O planejamento da reforma de um condomínio requer muita organização e cuidado, sempre pensando no melhor para os moradores e para a estrutura do local. Obras podem atrapalhar o dia a dia, então quanto melhor o estudo da execução, menor serão os impactos dessas mudanças na vida dos condôminos.

Para que tudo dê certo, além de planejamento é importante contar com profissionais altamente qualificados e comprometidos, pois isso garante a agilidade e a qualidade no processo, de modo que todos fiquem satisfeitos.

Pensando nisso, o post a seguir trará 6 dicas essenciais para quem está à frente de um condomínio e precisa conduzir uma reforma com eficiência. Continue a leitura e confira!

1. Defina antecipadamente o que será reformado

Um condomínio é praticamente uma propriedade coletiva, sendo necessário que todos aprovem previamente o plano de reforma, o que aumenta a responsabilidade do síndico. Tudo que será feito nas obras deve ser apresentado previamente, sendo até passível de mudanças.

Uma vez aprovado, é altamente recomendável que o planejamento da reforma não seja alterado, tendo em vista que isso poderia causar problemas de logística, atrasando o andamento das obras, causando problemas para os moradores e até mesmo o aumento de custos, algo que também não era planejado.

Apenas propor uma reforma sem saber exatamente o que será feito não é a melhor maneira de conduzir a situação. Obras naturalmente causam transtornos e o ideal é fazer com que esse período termine rápido, o que é possível quando há um plano definido e aprovado coletivamente.

2. Tenha ajuda de um profissional qualificado

Por mais que o síndico tenha costume com organização e saiba exatamente o que o condomínio precisa em relação a melhorias, somente um profissional qualificado pode dar o aval e determinar como as obras vão se desenrolar, vetando possíveis ideias e sugerindo algumas intervenções para que o projeto se desenhe da melhor maneira.

A execução da reforma também requer todo cuidado e conhecimento para que o resultado final seja satisfatório e de acordo com a proposta que foi apresentada aos condôminos. Desse modo, também se faz necessário todo cuidado para que profissionais capacitados estejam à frente do dia a dia da obra enquanto ela é realizada.

Engenheiros, arquitetos, pintores, operários e todos os profissionais envolvidos desde o planejamento até a execução da obra devem ser experientes e capacitados para o trabalho. Certifique-se de contar com os melhores, pois isso é a melhor garantia de que no resultado das reformas seja satisfatório.

3. Pesquise preços e solicite orçamentos

Os custos da obra podem ser extensos, então é imprescindível pesquisar os melhores preços para ter um projeto com ótimo custo-benefício. Além disso, o síndico precisa prestar contas sobre os gastos, então há também a questão da satisfação dos moradores com o que está sendo investido no projeto da reforma.

O ideal é pesquisar os melhores preços antecipadamente. Todas as despesas possíveis devem ser contabilizadas ainda no planejamento da reforma, até porque será necessário apresentar o custo estimado do projeto aos condôminos antes mesmo que a ideia seja aprovada de maneira geral.

Solicite orçamentos para empresas e profissionais, busque comprar os materiais nas mesmas casas, visando descontos, e seja incansável na busca por preços menores. Isso fará com que o projeto seja mais barato, o que pode ter uma série de benefícios, além de manter o caixa do condomínio com boas reservas de emergência.

4. Conduza a obra em etapas

Uma obra em maiores proporções pode acabar causando problemas de logística para um condomínio, o que é um mal necessário para que a reforma aconteça. A melhor forma de minimizar os impactos é realizando tudo em etapas, de modo que nem todos os locais estejam interditados — o que pode prejudicar a vida dos moradores, causando transtornos de uma forma ampla.

Por exemplo, se o condomínio é dividido em blocos e todo ele for passar por reformas, divida a reforma pelos blocos, de forma que as obras em um só comecem quando terminarem a do anterior. Assim a sensação de caos será minimizada, facilitando o trânsito de moradores e até mesmo a chegada de materiais que, muitas vezes, acontecem por meio de caminhões.

Além dessas questões de logística, se a reforma for realizada em etapas, será possível também se planejar melhor financeiramente — já que os gastos com materiais podem ser feitos gradativamente, de um mês para outro.

5. Defina um cronograma para a reforma

É preciso planejar por quanto tempo o condomínio estará passando por obras. Além de ser um bom medidor, especialmente para informar aos condôminos, é também uma maneira de determinar o tempo em que é necessário que os envolvidos terminem o projeto sem atrasos, já que isso pode gerar mais custos e transtornos.

O cronograma também ajuda a definir as etapas das obras, já que esses dois fatores estão diretamente associados. Se o prédio tiver 4 blocos, por exemplo, e os responsáveis pela obra estimarem um tempo médio de 2 meses para cada bloco, o cronograma deve planejar a reforma completa para 8 meses, afastando a possibilidade de atrasos. Com isso documentado e assinado, o síndico ainda consegue proteção legal contra qualquer transtorno.

Deixar que uma obra siga um planejamento de maneira livre, sem que haja uma expetativa de tempo de conclusão, é uma maneira pouco adequada de conduzir as coisas, correndo sérios riscos de ter a reforma prolongada desnecessariamente — criando insatisfação nos moradores.

6. Organize materiais e fiscalize a obra

Será também papel do síndico organizar onde os materiais da obra ficarão armazenados, assim como fiscalizar constantemente se tudo está sendo feito de maneira adequada, além de verificar se os horários de início e término de trabalho estão sendo cumpridos.

É importante que os materiais não atrapalhem o trânsito dos moradores e que não estejam em um local onde ofereçam algum tipo de risco à integridade de quem precisa transitar pelo local, sejam condôminos, sejam funcionários da obra.

Quanto ao trabalho, é importante estar atento se tudo está sendo cumprido, se o número de trabalhadores presentes na obra é um número adequado e esperado, se todos eles estão chegando ao condomínio na hora certa e cumprindo com a jornada combinada.

O planejamento da reforma será feito com muito mais eficiência e precisão seguindo essas dicas que você conferiu no post. Para que tudo saia como planejado, é imprescindível contar com profissionais especializados para conduzir tudo o que acontece.

A melhor maneira de ter a certeza de que a reforma de seu condomínio terá ótimos resultados é contando com especialistas em arquitetura e urbanismo, desenvolvendo um projeto específico para sua proposta. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos serviços!

Katia Sano

Arquiteta formada na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 1989, é sócia-diretora da DIRETÓRIO DA ARQUITETURA & URBANISMO desde sua fundação, em 1993.

Sem Comentários