Dicas de Sustentabilidade no Condomínio

Condomínio sustentável: confira 8 dicas para o seu!

Há anos a sustentabilidade tem deixado de ser apenas uma moda. Especialmente com a grande proliferação de condomínios residenciais nas cidades brasileiras, todos sabemos que cada um fazer a sua parte é imprescindível.

Desse modo, é preciso buscar alternativas para estimular os moradores a promoverem o estilo de condomínio sustentável que nossos núcleos urbanos tanto precisam. Existe uma série de atitudes que podem ser aplicadas tanto nas áreas privadas como nas comuns, e que tanto moradores quanto funcionários são responsáveis pela fiscalização.

Algumas medidas necessitam ser pensadas ainda nas etapas de projeto do empreendimento, mas outras podem ser implementadas a partir de reformas. Para realizar a obra com responsabilidade, é importante contratar os devidos serviços de arquitetura e engenharia.

Para saber medidas fáceis de implementar que resultarão em boas economias, confira as nossas 8 apostas neste post!

1. Utilizar lâmpadas LED

Ainda hoje, é muito incomum encontramos lâmpadas incandescentes nas residências brasileiras. No entanto, mesmo quando comparamos com as fluorescentes, a tecnologia das lâmpadas LED apresenta a melhor relação custo benefício.

Elas consomem menos energia, iluminando melhor e por muito mais tempo do que qualquer outra lâmpada. O investimento alto se paga a longo prazo, pois a economia é significativa. Portanto, a melhor escolha é substituir todas as lâmpadas antigas pelas LEDs.

2. Captar a água das chuvas

É uma prática muito útil para reduzir o consumo de água do sistema de abastecimento urbano — e, consequentemente, os custos. Pode ser feita a partir de cisternas de alvenaria, construídas durante a fase de obras do empreendimento, ou sistemas compostos por recipientes como caixas d’água ou tonéis.

A água captada pode ser utilizada para as atividades comuns em um condomínio sustentável, como o enchimento de piscinas, limpeza de áreas comuns, ou ser armazenada na cisterna de combate a incêndios.

3. Separar a medição do consumo de água e gás

Quando os medidores são separados, é mais fácil cada unidade conhecer e economizar no seu consumo mensal. Essa medida já é amplamente aplicada principalmente nos novos empreendimentos residenciais.

4. Incrementar o paisagismo

Seja o condomínio vertical ou horizontal, é importante que haja investimentos em áreas arborizadas e jardins. Essas áreas contribuem para a melhoria do microclima local, para a permeabilidade do solo, além das vantagens estéticas e psicológicas que a vegetação traz para as pessoas.

Traga o verde para dentro de casa também: pode ser por meio de mini hortas, jardineiras ou arranjos de flores, afinal, o colorido das plantas é capaz de animar qualquer ambiente.

5. Promover a coleta seletiva

O lixo orgânico pode ser reaproveitado nas áreas de paisagismo. Já os materiais como plásticos, vidros e metais, podem ser limpos e reciclados pelo próprio condomínio, para vasinhos de mini hortas ou objetos decorativos.

Outra opção é doar ou vender esses materiais para organizações que promovem a reciclagem na sua cidade. Em caso de venda, melhor ainda: isso gera uma renda extra para o condomínio.

6. Adquirir equipamentos eletroeletrônicos eficientes

Tanto dentro de casa, como nas áreas comuns do condomínio, é fundamental que se invista em equipamentos — como geladeiras, fornos ou fogões elétricos, aparelhos de ar-condicionado — que sejam energeticamente eficientes, isto é, que operem adequadamente sem consumo excessivo de energia elétrica.

7. Instalar sensores de presença

Essa medida resulta em uma economia significativa na conta de energia elétrica do condomínio. Podem ser instalados em corredores, halls e banheiros, de modo a manter a luz acesa apenas por um certo período de tempo e apenas quando houver pessoas no ambiente. Assim, elimina-se a possibilidade de luzes serem esquecidas acesas em locais vazios.

Observação: nessa categoria, podem entrar as torneiras de fechamento automático e as descargas econômicas, evitando o desperdício de água.

8. Influenciar o comportamento dos moradores

Programas de descontos em taxas do condomínio pela participação em mutirões de limpeza, reciclagem ou plantações de mudas são excelentes iniciativas para perpetuar o novo comportamento das pessoas com relação às questões ambientais.

Almeje principalmente as crianças: elas são as principais agentes de mudança de comportamento dos responsáveis.

Pronto para implementar as dicas para tornar seu condomínio sustentável? Para espalhar ainda mais essas boas práticas, compartilhe esse post com seus amigos e familiares nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Sem Comentários