obra de reforma em prédio

Confira 6 sinais que indicam a necessidade da reforma do prédio

Além de manter a ordem no condomínio, o síndico também é responsável por garantir a segurança e bem-estar de todos os condôminos. Como ele nem sempre tem experiência no cargo, porém, é normal cometer alguns equívocos, principalmente no que diz respeito à manutenção do edifício.

Com o passar do tempo, é natural que o imóvel sofra desgastes e necessite de alguns reparos. Por isso, é preciso que o síndico esteja sempre atento às instalações para entender quando a reforma do prédio é necessária.

Quer evitar que pequenos problemas virem uma dor de cabeça no seu condomínio? Então confira agora os 6 principais sinais que indicam a necessidade de uma reforma do prédio!

1. Fachada

Conforme o artigo 1.348 do Código Civil, o cuidado com a fachada do prédio é uma obrigação legal e de responsabilidade do síndico. Portanto, se a fachada começar a apresentar rachaduras, fissuras, descascamentos, entre outras patologias, trata-se de um sinal de que ela precisa de reformas.

É preciso estar atento também à sua manutenção básica, que inclui lavagens a cada dois anos. Caso a fachada tenha sido revestida de argamassa, indica-se também a repintura a cada cinco anos.

Esta é apenas uma média da periodicidade em que a manutenção deve ser realizada, já que tudo vai depender dos agentes agressivos que a fachada está exposta, como o índice pluviométrico, poluição, incidência de luz solar, entre outros fatores que podem reduzir a durabilidade dos cuidados.

2. Instalações elétricas

Os problemas com instalações elétricas costumam ocorrer principalmente em prédios mais antigos, mas é de suma importância que o síndico esteja atento a isso até mesmo em imóveis novos. Embora nem sempre haja muito conhecimento na área, existem alguns sinais que podem ser detectados por leigos e que ajudam a identificar o momento certo de buscar ajuda profissional.

Se você verificar constantes quedas de disjuntores, sobrecargas e queima de equipamentos, por exemplo, significa que está na hora de buscar auxílio técnico. Prestar atenção neste ponto é essencial para evitar danos maiores e irreversíveis, já que os maiores responsáveis por incêndios em prédios são os curtos-circuitos, descargas e sobrecargas elétricas.

A instalação elétrica de um prédio pode durar até 30 anos, mas a sua vida útil depende diretamente da manutenção periódica e dos cuidados certos. Portanto, procure tornar essa avaliação um hábito durante o período em que você for o síndico.

O ideal é que os edifícios antigos realizem uma inspeção completa a cada 5 anos, enquanto os novos podem fazê-la a cada 10 anos. As manutenções são ações preventivas cuja função é checar para-raios, dispositivos de proteção contra incêndios, entre outros.

3. Caixa d’água

Para que os condôminos possa usufruir dos serviços de abastecimento com segurança e qualidade, é preciso tomar alguns cuidados com a caixa d’água. Essas medidas envolvem a manutenção adequada e outros procedimentos para identificar indícios de que ela está se deteriorando.

Para evitar maiores prejuízos, é preciso estar atento à estrutura da sua caixa d’água: se houver pequenas fissuras ou furos, é sinal de que a funcionalidade do equipamento pode estar comprometida.

Caso a caixa d’água esteja muito cheia, chegando a transbordar, o problema pode estar na torneira boia. Para solucionar o problema, é necessário realizar a troca do equipamento.

Se houver uma ruptura entre a parede da caixa d’água e a sua base, o ideal é substituir o equipamento por uma caixa de metal, que não sofre com furos e rupturas.

4. Cheiros estranhos

Os cheiros estranhos indicam que pode haver problemas na tubulação devido a possíveis entupimentos. Por esse motivo, é de suma importância que todos os condôminos sejam conscientizados sobre como realizar seus descartes da maneira adequada.

Embora todos os cuidados sejam tomados, a manutenção das tubulações gerais, da caixa de gordura e da fossa precisam ser periódicas para evitar entupimentos. Nesses casos, o síndico pode contratar profissionais que são responsáveis por fazer a limpeza de instalações de esgotos em condomínios.

Caso o prédio seja muito antigo, é necessário avaliar a frequência que essa equipe deve ser contratada ou, em último caso, verificar se existe a possibilidade de realizar a troca das tubulações.

É importante enfatizar que a alteração de todo o sistema de tubulação é uma obra trabalhosa. Antes de tomar essa decisão, portanto, o síndico deve convocar uma assembleia com todos os condôminos para decidir a solução mais adequada para o problema.

5. Rachaduras

É possível que os problemas com rachaduras nas paredes do prédio não representem grande perigo, mas ainda assim o síndico deve estar atento a essas imperfeições estruturais.

Na maioria dos casos, a rachadura pode estar relacionada apenas ao uso de areia inadequada, retração da argamassa, falta de juntas de dilatação, entre outros fatores. Apesar disso, é importante que você observe a fissura com atenção, pois cada uma tem uma causa específica.

Se a rachadura apresentar um espaço com mais de 0,5 mm, entre em contato com um engenheiro habilitado para realizar uma avaliação no local, pois isso pode representar graves problemas na estrutura do prédio.

Caso a rachadura esteja na diagonal, é possível que o problema esteja na fundação ou em alguma viga. Nesses casos, o engenheiro deve acionar a Defesa Civil do seu município.

6. Infiltrações

Existem diversos fatores que podem causar a infiltração: eles podem estar relacionados aos vazamentos na tubulação, umidade, marquises malfeitas, impermeabilização de lajes e muito mais. Portanto, é necessário que você fique atento para agir o mais rápido possível sempre que identificar algum problema.

Mais uma vez, as vistorias e manutenções na estrutura do prédio precisam ser constantes para reduzir ao máximo as chances de ocorrer infiltrações. A troca de encanamentos antigos também impede que as infiltrações aconteça.

Mas atenção: essas ações não devem partir apenas do síndico. Nesse momento, é fundamental que todos os condôminos colaborem, cobrando as ações necessárias em reuniões para que essa parte estrutural não seja deixada de lado.

A reforma do prédio é uma tarefa que vai exigir muita dedicação por parte do síndico. Para amenizar essa responsabilidade, uma boa solução é contar com o auxílio de uma empresa renomada, que ofereça expertise e segurança em todas as etapas da reforma e manutenção no condomínio, incluindo o planejamento, a execução e o gerenciamento de toda a obra. Caso contrário, seus problemas só aumentarão, gerando conflitos com os condôminos e levando ao estresse de ter que refazer um grande trabalho.

Gostou das nossas dicas e quer conferir outros conteúdos sobre arquitetura, reforma e decoração? Assine a nossa newsletter e acompanhe as novidades do blog no seu e-mail!

Sem Comentários