Profissional para Reforma Predial

Projeto de reforma do prédio: por que procurar um profissional?

Muitas vezes, quando estamos doentes, compramos medicamentos em uma farmácia (sem orientação) ou pesquisamos algo na internet, não é mesmo? Porém, essa prática não é recomendada, afinal, existem profissionais qualificados para cuidar dos nossos problemas de saúde. No caso de um projeto de reforma, a ideia é a mesma.

Essa responsabilidade deve ser entregue a um arquiteto ou engenheiro, que são habilitados para a função. É exatamente sobre isso que falaremos neste post. A seguir, confira algumas vantagens de contar com um profissional para acompanhamento do projeto de reforma de seu prédio. Boa leitura!

Benefícios de contratar um profissional

Um erro comum é acreditar que a contratação desse tipo de profissional aumentará o custo da obra e que um “faz-tudo” pode dar conta dos serviços. Na verdade, mesmo com enfoques distintos, arquitetos e engenheiros possuem habilidades para gerenciar todo o projeto e a obra, garantindo melhores soluções e aproveitamento eficiente dos materiais e do tempo. O resultado disso é economia em curto e em longo prazos.

Mais do que isso: desde 2014, está em vigor a Norma de Reformas da ABNT (NBR 16.280), mais rigorosa na determinação das atividades que cada profissional pode desempenhar. Somente serviços simples, como pinturas, instalação de luminárias e execução de gesso, por exemplo, podem ser executados por aqueles não certificados. Já para qualquer alteração estrutural ou em instalações hidráulicas, elétricas e de gás, a avaliação de um arquiteto ou engenheiro é indispensável.

Apesar dessa “permissão”, até os serviços considerados simples — como a repintura de paredes deterioradas — merecem cautela. Sem o conhecimento necessário, você poderia identificar se a causa dos danos é uma infiltração? E as trincas, será que existe um problema estrutural? Ou, ainda, a escolha da tinta foi adequada para o ambiente? Sem tratar a causa, o problema pode ser apenas camuflado e ressurgir tempo depois.

O cuidado nessa contratação é fundamental para evitar problemas na qualidade e durabilidade da reforma, bem como garantir a segurança de todos durante e após a conclusão da obra. De acordo com o Código Civil, o síndico é o representante legal do condomínio e responde civil e criminalmente pelos atos cometidos em sua gestão. Logo, ele é o principal responsável por zelar pela segurança dos condôminos e, para isso, deve estar amparado por profissionais devidamente habilitados.

Diagnóstico preciso para o projeto de reforma

Para saber ao certo o que deverá ser executado, o profissional pode ser contatado para uma análise prévia das condições da construção, antes mesmo de assinar um contrato. Essa vistoria técnica determinará os tipos de serviços que serão necessários e, normalmente, caracterizam-se como manutenção preventiva ou de reparo.

No entanto, se a vontade do condomínio é criar novas áreas construídas ou alterar as existentes, poderá ser feito um estudo de viabilidade dessas propostas. Com esse diagnóstico em mãos, o profissional será capaz de propor um projeto com as soluções mais adequadas, com criatividade, técnica, inovação e sustentabilidade.

Responsabilidade técnica

A legalidade da obra é um item imprescindível na hora de reformar. O arquiteto ou engenheiro são responsáveis técnicos pelos laudos que determinarão os serviços necessários e também a viabilidade de possíveis alterações na construção.

Caso seja contratado um engenheiro, ele deve providenciar a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Já o arquiteto, o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT). Ambos os documentos são a garantia legal de que o serviço está sendo realizado por um profissional habilitado e com registro ativo no seu conselho.

Também é indispensável a assinatura de um contrato de trabalho, com escopo bem definido de todas as atividades que serão desenvolvidas pelo profissional, desde a elaboração do projeto, levantamento de materiais, gestão da obra, pagamentos, metas a cumprir, entre outras. Tudo precisa estar bem esclarecido entre as partes.

Para ajudar, busque referências dos profissionais e de seus trabalhos anteriores com pessoas de sua confiança. Além disso, existem alguns sites para auxiliar nesse processo, como o Reclame Aqui, CAU-BR, Procon e CREA de seu estado.

Economia de tempo e de dinheiro

Com base no projeto, o profissional fará um cronograma físico-financeiro planejando todo o andamento da obra vinculado ao custo de cada etapa. Ele definirá os prazos e quais são as atividades críticas — que comprometem o andamento das demais —, a especificação e a quantidade de materiais, a mão de obra e o investimento.

Seu domínio sobre esses recursos permite definir as melhores soluções técnicas e de gerenciamento para a obra em questão. Essa é a maior garantia de produtividade, qualidade e durabilidade que podemos ter e, consequentemente, economia em curto e em longo prazos.

Agora, imagine calcular a quantidade de materiais e seu melhor aproveitamento; a especificação adequada de cada um; os serviços realmente necessários e a sequência de execução para melhor produtividade, sem tem o mínimo de conhecimento técnico. Fica difícil, não é verdade? Mas com a orientação certa, todas essas preocupações podem ser evitadas.

Respeito à legislação

É um fator crucial para prevenir multas, um possível embargo da obra e, principalmente, minimizar o risco de acidentes. O profissional pode dar auxílio à comissão de obras do condomínio e ao síndico sobre a elaboração do plano de reformas, além de orientá-los sobre a documentação necessária para a reforma predial (alvarás e licenças) e explicar quem são os órgãos fiscalizadores e suas exigências.

A Norma de Reformas da ABNT ainda gera polêmicas, pois torna o síndico corresponsável e lhe dá o poder de embargo, especialmente em obras nas unidades autônomas. Como não foi regulamentada por órgão governamental, a norma não é obrigatória. Porém, se seu cumprimento pudesse evitar um acidente, por exemplo, ela pode ser considerada na investigação jurídica. Por isso, é indicado consultá-la, no mínimo, como orientação.

Como gestor da obra, cabe ao profissional verificar e cobrar a regularidade da documentação das empresas e dos funcionários contratados para prestar os serviços. Além disso, também deve fiscalizar a execução das atividades e a segurança de todos: dos trabalhadores, determinando o uso de equipamentos de segurança obrigatórios, e dos moradores e visitantes, protegendo e isolando áreas de risco.

Se o foco do condomínio é segurança, economia, qualidade e durabilidade dos serviços, o caminho mais indicado é a contratação de um profissional habilitado para vistoria, elaboração de projeto de reforma e gestão da obra.

Viu como esse investimento vale a pena? Então entre em contato conosco e veja como podemos ajudar você!

Sem Comentários