Reforma no condomínio: como se preparar financeiramente?

Planejar uma reforma no condomínio não é tarefa fácil! Além das questões logísticas e de organização, há o principal ponto e que demanda mais esforços: o dinheiro. Os custos de uma obra podem ser altos e é importante ter o orçamento bem definido e dentro da realidade.

Além de conseguir disponibilizar o dinheiro a ser utilizado nas reformas, é necessário que os condôminos estejam de acordo e se proponham a custear taxas extras inclusas em suas mensalidades, já que isso é fundamental para capitalizar.

Vamos tentar ajudar você nessa complicada missão! Veja, neste post, como se preparar financeiramente para que tudo saia conforme planejado. Acompanhe!

Defina um planejamento financeiro anual

Início de ano é o momento em que o síndico deve se organizar em todos os pontos importantes da gestão de um condomínio. Entre essas demandas está o planejamento financeiro dos próximos 12 meses, que deve sempre dispor um orçamento voltado para obras de reparo e, caso seja a intenção, reformas necessárias.

Conseguindo organizar as finanças desde os primeiros meses, o síndico administra melhor os gastos e o direcionamento de verba para a reforma do condomínio. Lidar com dinheiro é complicado, não é mesmo? Porém, muito do que deve ser feito é esse cuidado a fim de se planejar.

Se essa reforma no condomínio já estiver sendo pensada há um tempo, é ainda mais plausível relacionar os custos no planejamento financeiro anual, pois dessa forma o investimento poderá ser absorvido sem maiores impactos.

Crie uma reserva de dinheiro para as obras

É importante que a administração tenha uma reserva financeira vinculada somente às questões de manutenção e, ocasionalmente, para uma possível reforma no condomínio. Essa missão é delegada a uma única pessoa: o síndico! Essa figura, que assume tantas responsabilidades, precisa cuidar de mais essa.

Para conseguir isso, é fundamental direcionar mensalmente um percentual dos rendimentos relacionados ao pagamento das taxas de condomínio, sempre com a intenção de desenvolver essa reserva. Organizando esse orçamento antecipadamente e aos poucos será mais fácil de obter o dinheiro para a reforma.

Desse modo, quando for necessário iniciar as obras, os condôminos não serão pegos de surpresa com aumentos muito altos nas mensalidades e, em contrapartida, o gestor dessa parte financeira não vai sofrer tanto com as tradicionais reclamações. Afinal, vida de síndico não é fácil!

Busque serviços e fornecedores mais baratos

Realizar orçamentos com fornecedores é uma tarefa necessária na etapa de planejamento de reforma no condomínio. Independentemente do capital disponível para realizar as obras, quanto maiores forem os descontos, melhor será, já que os moradores ficarão felizes e será possível ainda manter dinheiro como reserva da administração.

Na busca pelos melhores preços é importante ser incansável. Materiais de construção de todos os tipos, serviços como arquitetura e engenharia, mão de obra especializada e cada uma das necessidades devem ser pechinchadas e analisadas com muita atenção para conseguir o melhor custo-benefício possível.

Lojas de construção e empresas especializadas costumam oferecer orçamentos iniciais que podem ser negociados, principalmente se você obtiver valores reduzidos disponibilizados por concorrentes.

Não tenha vergonha e tente a todo custo preços mais interessantes. No final das contas, o que importa e é fazer um trabalho de qualidade com o menor preço possível.

Seja transparente com os moradores

Uma reforma no condomínio pode gerar gastos muito altos e nem todos os condôminos vão conseguir entender essas necessidades. Por isso, é importante que o síndico seja transparente em relação a tudo que está sendo investido com o objetivo de melhorar a estrutura de uma forma geral.

A prestação de contas é parte indispensável do processo! Cada centavo gasto, seja para comprar um saco de cimento, seja para contratar um serviço, deve ser devidamente registrado e relatado, assim não haverá desconfianças por parte dos moradores.

É um direito deles saber como o dinheiro está sendo investido e, principalmente, a relevância de cada material comprado e serviço contratado. Essa relação clara resulta em maior confiança e, naturalmente, boas possibilidades de cada vez mais realizar trabalhos importantes, tanto na atual reforma, quanto em futuras necessidades.

Defina um cronograma para as obras

As obras, certamente, vão levar alguns meses até ficarem prontas, especialmente se elas forem mais amplas e complexas. Ao começar o planejamento junto à empresa que vai conduzir o projeto, o melhor a se fazer é pensar em um cronograma, para entender o desenvolvimento e o andamento da reforma.

Assim, é possível organizar o pagamento dos serviços e a compra dos materiais disponíveis, de forma que o orçamento possa ter um respiro maior, sem que todo o dinheiro necessário seja disponibilizado de uma só vez para custear as necessidades da reforma.

Esse cronograma financeiro ajuda o síndico a dividir bem os gastos, projetando exatamente quanto deverá ser investido e quando, pois assim ele terá o tempo necessário para capitalizar mais e organizar as finanças.

Realize uma reunião para aprovar orçamento

Independentemente de conseguir bons valores e que vão garantir um custo interessante para a reforma no condomínio, é fundamental que os moradores tenham acesso ao projeto e ao orçamento. É obrigação do síndico convocar uma reunião de modo a aprovar a proposta e os valores junto aos condôminos.

Nesse momento, a transparência é fundamental. Como dissemos, tudo que for gasto deve ser devidamente relacionado. A reunião deve ter o foco de disponibilizar o projeto e, diante de todos, conseguir a aprovação para tocar com as obras sem que hajam manifestações futuras contrárias à reforma.

Obviamente, alguns moradores podem não estar satisfeitos, mas a votação é o jeito mais democrático de decidir por continuar o projeto ou não.

Possíveis taxas devem ser tratadas

A reunião também deve abordar um assunto muito importante: taxas na mensalidade com a finalidade de custear a reforma no condomínio. Ainda que você conte com uma boa reserva financeira, é possível que o aumento temporário da taxa condominial seja necessário para que as obras sejam conduzidas.

Caso haja essa demanda, o aumento deve ser votado junto aos moradores. Nesse momento, o síndico deve propor essa taxa e ser muito claro em relação ao motivo: a reforma sairá muito cara? Usar todo o dinheiro disponível pode prejudicar o caixa do condomínio?

Por mais que haja discordâncias, se essa é a melhor maneira de lidar com a situação, é importante deixar isso claro.

Fazer a reforma no condomínio dá trabalho, é estressante, mas dá para conduzir tudo sem problemas e com a total confiança dos moradores! Assim é possível realizar um trabalho de qualidade sem prejudicar os cofres da administração.

Gostou de saber mais sobre esse assunto? Siga-nos em nossas redes sociais — FacebookLinkedIn e Instagram — e acompanhe outros conteúdos como este!

Katia Sano

Arquiteta formada na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 1989, é sócia-diretora da DIRETÓRIO DA ARQUITETURA & URBANISMO desde sua fundação, em 1993.

Sem Comentários