Um dos maiores problemas da atuação de um síndico é ter que lidar com a inadimplência no condomínio. Essa é uma adversidade ainda maior quando o orçamento do prédio depende da taxa condominial paga pelos moradores. Dessa maneira, qualquer atraso ou falta pode provocar prejuízos para todos.

Pensando nisso, é muito importante que o síndico pense em soluções para diminuir esses contratempos. Além de uma boa gestão financeira, existem outras ações que podem resolver o problema sem expor os moradores e sem fazer com que as contas do condomínio entrem no vermelho.

Por isso, trouxemos neste conteúdo 5 ideias que você pode aplicar na sua administração ainda hoje. Confira!

1. Conscientize os moradores

Quando as contas do prédio estão em atraso, todos saem perdendo. A inadimplência pode impactar em frentes importantes, como a segurança e o bem-estar coletivo.

Por isso, o primeiro passo a se tomar é conscientizar os moradores sobre os níveis de atraso e sobre as multas e juros que serão cobrados dos devedores. Enfatize esses pontos em reuniões e até mesmo em avisos pelo condomínio.

2. Esclareça as regras de penalidades

Crie regras, juntamente aos moradores, para deixar bem claro aos inadimplentes os seus deveres legais. O estabelecimento dessas regras pode ser feito por meio de conselho, convenção coletiva e assembleia geral.

legislação atual limita a multa a morador devedor a 2% do valor da cota, fato que contribuiu para o significativo aumento da inadimplência e para o atraso no pagamento. Mesmo assim, a comunidade condominial pode se reunir para aumentar o valor da taxa.

O recomendado é que o percentual não passe de 10%. Porém, essa medida pode ser o diferencial para diminuir os problemas financeiros do condomínio e para garantir a legalidade das suas ações contra os inadimplentes.

3. Notifique os inadimplentes

Com essas regras estabelecidas, monte uma carta de notificação aos devedores, informando seus débitos, prazos de vencimento e como eles podem proceder com a quitação.

Lembre-se que, em hipótese alguma, você pode expor os moradores inadimplentes ao resto dos condôminos. Tal ação pode acabar expondo você a problemas maiores do que as dívidas do condomínio.

4. Esteja aberto para negociações

Muitas vezes, um morador com as taxas atrasadas pode estar passando por dificuldades financeiras. Pensando nisso, é importante que você esteja aberto para negociações, podendo até isentar as penalidades e propor condições para que o pagamento seja realizado (desde que essas exceções sejam combinadas em assembleia).

É preciso considerar que é melhor ter o valor em mãos e cumprir com o orçamento do condomínio do que apenas querer que condômino pague a mais por seu atraso.

5. Beneficie os bons pagadores

Um bom síndico deve propor as melhores condições para os devedores quitarem seus débitos, mas, ao mesmo tempo, não deve desestimular os bons pagadores do condomínio. Por isso, uma boa ideia é implementar um sistema de descontos para quem pagar o boleto antes do vencimento.

Essa prática, testada e comprovada em vários condomínios, além de criar um benefício para quem paga antecipado, também proporciona mais segurança ao síndico, já que o recebimento antecipado garante o pagamento das despesas ordinárias imediatas.

A tarefa de diminuir as taxas de inadimplência no condomínio pode parecer complicada, mas com as dicas que você viu aqui, hoje certamente pode elaborar um plano efetivo para atingir esse objetivo. Com um conjunto de soluções bem traçadas, seu condomínio tem tudo para sair do vermelho. Boa sorte!

Agora que você conhece essas dicas, que tal aprender como montar um fundo de reserva para o condomínio e evitar problemas financeiros?!

Fernando Rolim

Desenhista nas horas vagas, sempre planeja suas viagens baseadas em roteiros arquitetônicos.

Sem Comentários