Arquitetura, Dicas, Gestão, Planejamento, Recursos Humanos, Reformas, Síndicos

Descubra 5 ideias para economizar na iluminação do condomínio

março 28, 2019
iluminação do condomínio
Tempo de leitura 4 min

Com os vários aumentos no custo da energia elétrica nos últimos anos, é cada vez mais importante usar equipamentos eficientes, que gerem economia na conta do final do mês. No entanto, muitas vezes as pessoas acabam esquecendo de estender o mesmo raciocínio para o âmbito coletivo, como a iluminação do condomínio.

Ao contrário do que se pode pensar, existem várias maneiras bem práticas e rápidas de trazer economia para as contas da administração e, assim, aproveitar melhor o dinheiro arrecadado. Continue conosco e conheça formas de economizar energia na iluminação do condomínio!

1. Substitua as lâmpadas antigas

Está cada vez mais raro, mas ainda existem condomínios que utilizam lâmpadas incandescentes ou halógenas na iluminação de suas áreas comuns. O problema é que esses modelos duram relativamente pouco — entre 1000 e 5000 horas — e consomem muita energia.

Trocar as lâmpadas antigas pelas fluorescentes já traz uma enorme vantagem, tanto por sua durabilidade superior quanto por emitir mais luz do que calor para os ambientes.

Já os modelos LED estão entre os melhores do mercado: duram no mínimo 25000 horas — cerca de oito anos —, iluminam melhor que todos os outros e são bem mais econômicos em seu funcionamento. Pela alta tecnologia, demandam um investimento inicial maior, mas que é compensado pela baixíssima necessidade de trocas e pouca quantidade de energia utilizada.

A substituição das lâmpadas vale para todos os tipos de ambientes: jardins, elevadores, salões de festa, halls, academia, sala de jogos, quadra esportiva e as demais comodidades que o condomínio oferecer.

2. Invista em sensores de presença

Áreas que têm ocupação passageira — como halls, escadas de incêndio e garagens — não precisam ficar com a luz acesa durante horas sem ninguém.

Por isso é que os sensores são extremamente úteis: ao detectar a entrada de pessoas no espaço, a iluminação é acionada e, quando não mais identificar a presença de ninguém, a luz é desligada de forma automática.

Um dispositivo acessível, que proporciona uma economia de energia expressiva, de cerca de 50%. Que tal?

3. Instale minuterias

Seguindo um princípio semelhante ao dos sensores de presença, as minuterias são ideais para corredores, banheiros ou vestiários de áreas comuns: quando um usuário entra no espaço, a iluminação é acionada por uma determinada quantidade fixa de minutos e apagada quando eles se esgotam.

Essa também é uma forma de evitar que a iluminação do condomínio permaneça acesa além do necessário, poupando energia.

4. Calcule o consumo dos equipamentos

É bastante vantajoso contratar um técnico para medir e avaliar o consumo energético dos equipamentos elétricos, com o objetivo de buscar melhorias na eficiência. O serviço também pode incluir, além das áreas comuns, vistorias dentro de cada unidade habitacional; com isso, todos reduzem suas contas de luz.

Nesse sentido, medidores eletrônicos são igualmente bem-vindos para quantificar a chamada energia reativa, que é aquela que possibilita que componentes importantes funcionem, como bombas d’água, reatores e elevadores. Com base nas medições, a administração pode estudar novas soluções mais eficazes e reduzir o consumo.

5. Prefira revestimentos claros

Pode parecer bobo, mas as pinturas e os acabamentos escuros de fato exigem mais iluminação para garantir boa visibilidade. As opções claras, por outro lado, permitem que a luz seja refletida e ilumine muito mais o espaço, ainda que com menos luminárias acesas.

Essa medida simples também vale para o interior das casas ou dos apartamentos e, em combinação com as outras sugeridas ao longo deste post, contribuirá para que a iluminação do condomínio seja muito mais bem aproveitada e sustentável.

Para que os moradores se tornem cada vez mais conscientes de seu papel nesse contexto, é importante que o condomínio crie campanhas informativas e até sistemas de recompensas para os que economizarem mais energia. Assim, o estímulo é constante e gera grandes benefícios a longo prazo.

Gostou destas ideias práticas para economizar na iluminação do condomínio? Para ficar por dentro das nossas dicas, assine a nossa newsletter!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário