Arquitetura, Dicas, Gestão, Planejamento, Recursos Humanos, Reformas, Síndicos

Entenda a importância da relação entre paisagismo e arquitetura

fevereiro 14, 2019
paisagismo e arquitetura
Tempo de leitura 4 min

É fato que a parte arquitetônica de uma construção é muito importante para garantir a harmonia estética de um condomínio contribuindo para criar um empreendimento de sucesso. No entanto, é comum que as pessoas se esqueçam que a inclusão da vegetação nos ambientes coletivos é importante para os prédios. Assim, cria-se uma relação de dependência entre paisagismo e arquitetura.

Com o auxílio do paisagismo, a exploração do espaço é otimizada. Torna-se possível desenvolver novos estilos de modo a contribuir para o bem-estar geral. A presença de elementos naturais também destaca a beleza do local e torna-o mais amigável ao meio ambiente.

Neste conteúdo, trouxemos as principais plantas para serem usadas em condomínios levando em consideração os lugares em que elas serão colocadas. Vamos lá!

Árvore da felicidade

Essa planta é muito procurada por paisagistas pela sua beleza singular e a baixa manutenção exigida. Ela necessita de sol para o seu desenvolvimento, mas não o tempo todo. O ideal é que esse tipo de árvore fique em um local onde há proteção de janelas para evitar que as suas folhas se queimem.

A árvore da felicidade pode ser plantada em vasos desde que haja espaço suficiente para o desenvolvimento das suas raízes. Desse modo, é possível colocá-la em espaços internos. Por depender da umidade do ar, a irrigação deve ser mais frequente em cidades de clima seco ou em período de estiagem. Fora isso, os cuidados são poucos, já que não há necessidade de fazer poda.

Clusia fluminensis

A Clúsia é originária do Brasil, portanto, está adaptada aos climas tropical e subtropical. Devido a isso, precisa de calor e muita luminosidade para se desenvolver. Suas folhas são arredondadas, no formato de gota, por isso ela costuma ser utilizada para ornamentação. Essa planta pode ser podada para formar arbustos, o que confere grande beleza aos jardins.

A poda deve ser frequente para evitar o seu crescimento excessivo porque ela pode atingir até seis metros de altura. Ela se diferencia por absorver gás carbônico durante a noite, o que a protege da desidratação. Apesar de ser menos comum, essa espécie pode ser plantada em vasos para dispor na parte interna.

Ixora

Esse é outro tipo de vegetação com formação de arbusto. Ela é muito popular por ser adaptada a climas muito quentes, sendo indicada para regiões com muita incidência solar. A Ixora é uma planta de aparência rústica, a textura das suas folhas lembra couro, o que confere uma personalidade única ao jardim. Ela apresenta floração durante a primavera e o verão, com tonalidades amarela, vermelha, laranja ou rosa.

Palmeira-areca

Também chamada de areca-bambu, essa é uma palmeira de grande popularidade. Ela pode ter porte de arbusto, chegando a três metros de altura, ou de árvore, chegando a nove metros. Desse modo, a sua adaptação pode ser feita tanto em áreas internas quanto externas. É possível fixá-la diretamente no solo ou fazer o seu envasamento. Só é preciso ter cuidado com a luminosidade porque, apesar de tolerar sol forte, a palmeira-areca fica mais vistosa com luz difusa ou meia-sombra.

Lírio da paz

Esse é um tipo de vegetação de baixo porte, com aproximadamente 50 centímetros. Ele pode ser destaque na decoração isolada em um vaso ou em conjunto no gramado. O lírio tem folhas verde-escuras e flores brancas, conferindo um estilo elegante. O melhor clima para essa planta é o úmido, com poucas horas de insolação.

Pronto! Agora, você sabe mais sobre a relação entre paisagismo e arquitetura e será fácil incluir o colorido das plantas em um condomínio. É preciso planejar a localização da vegetação de maneira que esteja visível para todos os moradores. Uma boa dica é espalhar alguns vasos pelo hall de entrada e pelo pátio. Além disso, fazer um caminho que combine o calçamento com flores e arbustos confere um charme extra ao jardim.

Se você gostou deste conteúdo, continue no nosso blog e descubra se vale a pena construir um parquinho infantil no condomínio.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário