Arquitetura

(ESTENDER + 500 PALAVRAS) Veja porque o estudo de viabilidade técnica e ambiental importa

novembro 26, 2019
Tempo de leitura 9 min
Powered by Rock Convert

 IMPORTANTE 

Solicitamos que o responsável pelas postagens no blog assista à este tutorial (https://is.gd/mTH2XQ). Nele, ensinamos como atualizar o conteúdo no seu blog sem perder a URL e causar conteúdo duplicado. Reforçamos que o texto desta pauta não deve ser postado automaticamente pela plataforma da Rock. Qualquer dúvida, só dizer nos comentários ou pelo chat da plataforma.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Todo bom gestor sabe que o planejamento é uma etapa muito importante para uma obra ter sucesso. É preciso avaliar os benefícios diretos e indiretos dos investimentos e implantações de novas infraestruturas, como o estudo da viabilidade técnica da execução do projeto. Afinal, é preciso que um projeto tenha um retorno maior do que os riscos que pode oferecer.

Dessa forma, a partir do estudo de viabilidade técnica é possível reunir informações obtidas em pesquisas de campo, coletar dados, avaliar um futuro projeto, diagnosticar os problemas e definir as melhores soluções para o contratante e usuário.

Então, já deu para entender a importância do estudo de viabilidade técnica e ambiental, certo? Continue a leitura que traremos mais informações para você. Confira!

O que é a viabilidade técnica e ambiental?

O estudo de viabilidade técnica e ambiental é um documento que reúne diversas variáveis que podem influenciar a execução de uma obra. É, portanto, uma avaliação de risco que ajuda os tomadores de decisão a entender se determinado projeto, em determinadas condições, tem chances de não ser concluído ou de não trazer retorno para a empresa. A viabilidade de um projeto é determinada por exclusão, ou seja, se ele não tem nenhum obstáculo, ele é viável.

Com isso, caso seja constatado riscos elevados, poderão ser feitas modificações para torná-lo mais viável ou simplesmente abandoná-lo. Assim, esse estudo é essencial para o sucesso de um empreendimento, sendo também um requisito muito frequente em diversos editais públicos para a construção civil. A seguir, explicaremos os principais critérios que ele avalia.

Conformidade com as leis e regulamentações

Talvez, o principal ponto de um estudo de viabilidade da execução do projeto seja a avaliação de sua conformidade com as leis e regulamentações, como:

  • Código de Obras;

  • as Leis de Uso e Ocupação do Solo;

  • o Plano Diretor Municipal;

  • o Código Sanitário Florestal;

  •  políticas de operações urbanas do município;

  • regras de zoneamento e condominiais.

De forma geral, esse conjunto de normas tem o poder de impedir o início das atividades, ou mesmo de interromper projetos que já estão em andamento. O descumprimento do Plano Direto, exemplificando, frequentemente não pode ser corrigido. Em caso de falhas menos graves, o Poder Público pode ainda aplicar multas muito altas e exigir a reparação de danos.

No entanto, nem todos esses fatores estão aí para obstar as obras. Por exemplo, as políticas de operações urbanas são um conjunto de medidas coordenadas pelo Poder Executivo de uma cidade com a finalidade de facilitar a viabilidade de alguns projetos de interesse público.

Análise das condições técnicas

Algumas vezes, o projeto está em conformidade completa com a lei, mas não pode ser executado com as tecnologias e recursos disponíveis para a empresa naquele momento. Portanto, pode ser muito caro adquirir ou alugar um determinado equipamento com o orçamento disponível. 

Como o estudo ocorre?

Em geral, ele é dividido em 5 fases:

  • primeiro são realizados estudos preliminares em que serão analisados os dados disponíveis sobre a infraestrutura, fontes externas especializadas e outras informações coletadas na área de segmento do projeto;

  • na segunda fase, após a coleta de dados, eles são estudados para realizar um diagnóstico de um possível problema e propor as melhores alternativas como solução. Os impactos ambientais e sociais devem ser descritos para cada alternativa;

  • na fase seguinte deve ser realizada a coleta de dados no próprio local de execução do projeto, além da obtenção dos dados que não foram possíveis na primeira fase, mas que são imprescindíveis para continuidade do trabalho;

  • durante a quarta fase, após a coleta de todos os dados, são realizados os estudos necessários para que possam determinar as obras de adequação e construção necessária, além de estimar os custos com estudos de viabilidade ambiental, das obras, manutenção, supervisão etc.;

  • por último, é preciso consolidar todos os dados e resultados de estudos nas etapas passadas para elaborar a análise econômica e mensurar os benefícios de cada alternativa.

Como a viabilidade técnica da execução do projeto pode impactar em uma obra?

Vamos dar alguns exemplos de inviabilidades técnicas para exemplificar a importância desse estudo. Em cidades com aeroportos, a construção de um edifício precisa respeitar a rampa de aproximação das aeronaves, isto é, o ângulo mínimo que elas precisam para manobrar com segurança durante o pouso e a decolagem.

Desse modo, nas áreas próximas às pistas, há uma limitação para a altura das construções. Por se tratar de uma questão de proteção à população, não há negociação e as obras fora de conformidade são interrompidas.

Outro exemplo seria a execução de um sistema de rede coletora de esgotos que entra em conflito com o plano de pavimentação de um bairro. Nesse caso, a incorporadora teria de arcar com os custos dos danos à vias públicas, o que pode tornar o projeto economicamente inviável.

Qual a importância do estudo de viabilidade técnica?

Saúde, segurança e bem-estar social

No quesito saúde, segurança e bem-estar social, o estudo de viabilidade técnica de um projeto não podia deixar de ser importante. Afinal, se considerar apenas o uso da água, sua exploração é, muitas vezes, inadequada, e os centros urbanos contribuem de forma significativa para degradar e poluir ainda mais os recursos hídricos, o que afeta sua disponibilidade e qualidade.

Então, um estudo de viabilidade técnica para avaliar por meio de questionários, a implantação de um sistema de reúso da água cinza em descargas de bacias sanitárias seria fundamental, por exemplo.

Além disso, existem diversos outros problemas de saúde, segurança e bem-estar social que esse estudo pode ajudar a otimizar e reduzir as chances de erro, como o desenvolvimento de protótipos para a locomoção de pessoas com mobilidade reduzida.

Analisar a viabilidade de investimentos em operadoras de planos de saúde, sistema de gestão de segurança e saúde ocupacional, análise da implementação de sistemas de transporte ferroviário ou marítimo em determinada região etc.

O que é o Estudo de Viabilidade Ambiental?

Também é muito importante estar atento aos impactos que o seu projeto pode ocasionar no meio ambiente e quais outras ações são as mais indicadas para evitar isso.

Tais estudos são essenciais para nortear o futuro do seu negócio, estabelecer diretrizes e requisitos básicos para as próximas etapas de todo o processo e para conseguir obter a licença de execução. Isso tudo é uma forma de evitar que você sofra custos desnecessários e seja barrado pela burocracia que envolve licenciamento ambiental.

Um exemplo disso é a implantação de um terminal de cargas. Com um estudo de viabilidade técnica e ambiental, é possível pensá-lo de uma forma mais logística, com áreas de apoio e sociais, para beneficiar a comunidade ali presente, construir equipamentos sociais, implantar unidades habitacionais, urbanizar uma possível favela e construir um parque linear.

Ter esse cuidado e enfoque social, adquirido por meio de um estudo de viabilidade técnica e ambiental, permite que o órgão que regula o meio ambiente possa licenciar o projeto de uma forma que o impacto seja o menor possível, além de incrementar os benefícios trazidos com o estudo e operá-lo de acordo com as premissas de sustentabilidade.

Por isso, o Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA) é fundamental para o sucesso de um projeto, já que as obras podem impactar significativamente no meio ambiente e ecossistema ao redor. Então, são realizados diversos estudos de engenharia, condições sócioeconômicas e meio ambiente. Eles têm o objetivo de identificar a alternativa mais viável entre as soluções elencadas para executar um projeto.

Para realizar esses estudos é preciso contemplar:

  • estimativa de custos para execução;

  • análise de valor de mercado para o projeto;

  • alternativas e cenários;

  • restrições do entorno;

  • programas de necessidade parlamentar;

  • levante de índices urbanos: coeficiente de aproveitamento, coeficiente de permeabilidade, recuos, taxas de ocupação etc.;

  • conclusão sobre o escopo desejado e os recursos necessários.

Portanto, já ficou claro o quanto é essencial investir em um estudo de viabilidade técnica e ambiental como forma de aumentar a saúde, segurança, garantir o bem-estar social e econômico da população atingida pelo projeto e garantir as condições sanitárias.

Além disso, tais ações são importantes para otimizar os aspectos ecológicos do local, os recursos naturais presentes na área, as práticas e políticas de sustentabilidade e garantir que a legislação vigente seja aplicada, de acordo com a atividade exercida.

Então, imagine executar um projeto que não realizou todos esses estudos para reduzir os impactos de cunho econômico, social e ambiental: o meio ambiente, que já é uma preocupação mundial e cujo aquecimento global cada vez mais forte aumenta os riscos de seca e inundações, trazendo calor extremo e pobreza para milhões de pessoas, sairia bastante prejudicado nisso, assim como a comunidade mais pobre, no geral.

Por isso, é necessário um planejamento que vise a elaboração de projetos de modo que esses impactos sejam os menores possíveis.

Por que o Estudo de Viabilidade Ambiental é importante?

O Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA) determina o futuro de um empreendimento, pois estabelece os requisitos e diretrizes para a obtenção de licenças nessa área. Entre outras coisas, é preciso saber se o terreno não está dentro de uma região de conservação permanente, qual sistema de saneamento será necessário etc. A partir disso será possível obter o licenciamento ambiental, o qual certifica que a obra está dentro dos parâmetros exigidos pela lei. 

Alguns escritórios de arquitetura, como a Diretório da Arquitetura oferecem expertise e segurança para todas as reformas e manutenção de condomínio, que inclui planejamento e gerenciamento de toda obra para ajudar na realização do empreendimento e melhorar a qualidade de vida de todos os envolvidos. Assim, você poderá ter todo o suporte para o Estudo de Viabilidade Técnica da execução do projeto.

Se você gostou do conteúdo, aproveite para nos seguir nas redes sociais e ter acesso a mais informações em primeira mão. Estamos no Facebook e LinkedIn.
 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário