Arquitetura

Gás canalizado em condomínio: confira as vantagens e os cuidados necessários

setembro 17, 2019
Tempo de leitura 7 min
Powered by Rock Convert

Há anos o gás canalizado trouxe mais conveniência, menor custo e mais facilidade para a rotina de muitas pessoas. Hoje, é praticamente impossível viver em condomínios modernos e que não ofereçam essa opção, já que o gás é útil tanto para o fogão quanto para o chuveiro.

Mais econômico, ele é a primeira opção, atualmente! No entanto, é preciso estar atento às limitações, ao funcionamento e aos cuidados que esse sistema exige. Há regulamentações bem definidas para instalação, manutenção e uso do gás canalizado.

Neste post, você ficará por dentro de tudo que precisa saber sobre esse sistema! Veja quais são os riscos, no que você deve ficar de olho para manter a segurança e conheça os benefícios do gás canalizado.

Entenda como funciona o gás canalizado

O sistema de gás canalizado revolucionou a maneira como o uso do recurso é feito domesticamente. A proposta era substituir o modelo tradicional, ou seja, os pesados, grandes e pouco funcionais botijões. O antigo modo de consumir gás, além de mais arriscado, também era mais caro, já que havia a necessidade de adquirir o bujão.

O gás doméstico canalizado é mais simples, já que é instalado por meio de uma estrutura de encanamento que fica na parte externa de prédios. Em casos de condomínio, esses encanamentos são posicionados em uma parte estratégica de distribuição. A partir dali, um cano segue para cada residência!

Formas de uso do gás canalizado

O gás canalizado é utilizado de duas maneiras básicas: na cozinha e no banheiro! Na sua mais tradicional finalidade, ele é conectado ao fogão, para dispensar de vez os botijões! Além disso, o gás pode ser usado para os chuveiros.

A substituição do equipamento gera maior economia, já que o chuveiro tem um consumo de energia elétrica considerável, mas não representa o mesmo no gás. Ao fim das contas, essa opção canalizada gera uma boa relação de custo-benefício!

Conheça as normas de segurança do gás canalizado

O gás canalizado tem regras rígidas e estabelecidas com uma finalidade: garantir a segurança de todos. A seguir, entenda quais são as recomendações principais e as restrições estabelecidas por lei.

Botijões não convivem em harmonia

Uma das principais restrições em relação ao gás canalizado é a presença simultânea de botijões de gás. A questão é simples: prédios que optam pelo sistema precisam proibir moradores de usar o modelo antigo, sob risco de acidentes graves, como explosões e incêndios. Há um histórico desse tipo de acontecimento, o que deve ligar o alerta!

Em cidades como o Rio de Janeiro e São Paulo, já há leis que proíbem a entrada de botijões e cilindros em edificações que têm o sistema canalizado. É fundamental que, no momento da implementação, todos os moradores estejam de acordo com o novo modelo. Em prédios vendidos na planta, a proibição dos botijões deve ser clara!

Necessidade de adequação à norma

Quanto à instalação do gás canalizado, é importante seguir os parâmetros de segurança legais. Isso evita problemas no sistema implementado ou até mesmo acidentes durante a execução do trabalho. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define claramente quais são as obrigações nesses trabalhos.

A norma NBR 15.526/07 dispõe os requisitos obrigatórios para implementar os projetos de gás canalizados. Essas indicações foram desenvolvidas com suporte da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), ou seja, é fundamental seguir as recomendações de quem sabe.

Vistoria obrigatória

Assim que a instalação é concluída e testada pela concessionária responsável, é necessário o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), laudo técnico da corporação. Ele só é concedido diante da constatação do funcionamento perfeito, ou seja, se está tudo certo, o condomínio é autorizado a liberar o uso aos moradores.

Além do AVCB, válido por dois anos, é necessário cumprir com a Lei da Autovistoria (6890/2014). Ela obriga os condomínios a realizarem uma vistoria na estrutura da área comum a cada cinco anos. Nas residências, a obrigação fica por conta de cada morador.

Confira os cuidados necessários

Além de cumprir com o regulamento, é importante manter o cuidado que só o morador pode ter com sua própria residência. Mais do que na instalação, o uso prolongado deve ser feito com responsabilidade e segurança!

A seguir, veja quais devem ser essas preocupações e entenda por que elas fazem diferença para a segurança do condomínio e da própria residência!

Manutenção regular

A manutenção regular é fundamental para que não haja nenhum fator de risco desconhecido. Como você viu, há leis que obrigam a isso, mas cabe ao morador estar sempre de olho no funcionamento do seu encanamento.

Qualquer problema detectado ou até mesmo escapamentos podem ser um sinal de mau funcionamento. Se tratando de gás, não é bom dar chance para o azar: entre em contato com a concessionária e comunique o problema detectado!

Reparos urgentes

Pequenos acidentes podem acontecer em casa e comprometer a estrutura do encanamento ou das saídas para chuveiro e fogão. Nesses casos, o ideal é rapidamente comunicar o síndico para cortar o fornecimento para a sua residência.

A manutenção de urgência e os reparos ajudam a contornar o problema o mais rápido possível. Pode ser arriscado tentar usar o gás com algum tipo de escapamento ou dano na estrutura do encanamento. É melhor resolver de uma vez por todas e minimizar ao máximo o risco de acidentes graves.

Ventilação

A ventilação deve ser outra preocupação, tanto na cozinha quanto no banheiro. Na própria instalação, essa será uma observação feita pela equipe responsável. Se necessário, esses profissionais vão informar qualquer tipo de mudança necessária.

No entanto, aos moradores, também é importante manter a atenção a possíveis escapamentos. Eles podem gerar problemas grandes se não há a ventilação dos cômodos.

Veja as vantagens do sistema de gás canalizado

Agora você já conhece os riscos e sabe os parâmetros de segurança para ter e manter gás canalizado em casa. Vamos falar de coisas boas: veja, a seguir, as principais vantagens desse sistema para o uso e para o bolso!

Custo-benefício atrativo

O custo não é alto, o que é ainda melhor, tendo em vista a comodidade e a facilidade do gás encanado. Aí já é possível detectar que há uma ótima relação custo-benefício. Um bom serviço e que ainda é acessível!

Fornecimento ininterrupto

Você nunca terá problemas com o gás, ou seja, nunca deixará de fazer comida porque acabou o fluido do botijão, por exemplo! Exceto por problemas estruturais mais graves, o fornecimento é contínuo e não gera preocupações.

Mais espaço

O botijão ocupa bastante espaço na cozinha, especialmente em apartamentos projetados para serem menores. Além disso, esteticamente eles não são nada bonitos! Já o encanamento fica na parede, é discreto e não toma nenhuma área da sua casa.

Custo sob demanda

Você paga o quanto usa, simples assim! É uma relação bastante justa e que, assim como energia e água, pode ser mais caro ou mais barato, de acordo com o consumo em cada residência, já que a cobrança é individualizada.

Que o gás canalizado é uma verdadeira mão na roda, não há dúvidas! Com uma rotina de cuidados e de manutenção, é possível aproveitá-lo com toda segurança.

Curtiu o post? Assine nossa newsletter e receba outros, diretamente no seu e-mail!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário