Arquitetura, Dicas, Gestão, Planejamento, Recursos Humanos, Reformas, Síndicos

Manutenção de elevadores em condomínios: como funciona?

janeiro 31, 2019
manutenção de elevadores em condomínios
Tempo de leitura 6 min

A manutenção de elevadores em condomínios é uma das demandas mais importantes com as quais o síndico deve se preocupar. O equipamento é indispensável no dia a dia, especialmente em prédios com mais de 3 andares, o que torna mais difícil a locomoção constante por meio das escadas.

Com uma boa rotina de manutenção, um elevador pode durar, em média, 30 anos. Além desse longo período de utilização, há também a garantia de proteção contra acidentes e outros riscos da má conservação do equipamento. Este post vai mostrar como funciona a manutenção de elevadores e os detalhes desse serviço. Confira!

Saiba como funciona a manutenção de elevadores em condomínios

Todo condomínio que tem elevadores precisa se preocupar também com uma rotina de manutenção adequada. O equipamento tem um alto custo e uma relevância proporcional. Boas práticas de conservação são fundamentais para que ele cumpra com dois requisitos básicos: o pleno funcionamento e a vida útil em longo prazo.

Há uma ideia de que há a necessidade de a manutenção ser feita pela empresa fabricante dos elevadores, o que é um erro. Não necessariamente ela precisa ser a responsável. Fundamental mesmo é encontrar uma empresa que preste o melhor serviço, dentro de condições que sejam interessantes aos condomínios.

O contrato de manutenção e as responsabilidades do síndico

Síndicos têm uma importante responsabilidade na hora de definir o contrato de manutenção de elevadores e condomínios. Sua escolha garantirá, além do funcionamento do equipamento, a longevidade da vida útil e também as melhores condições financeiras. É preciso firmar contratos que sejam vantajosos.

Neles, estarão dispostas todas as obrigações da empresa contratada junto ao condomínio. Há basicamente dois tipos de contrato de manutenção: com ou sem reposição de peças. Essa escolha vai influenciar nos custos, mas é de extrema importância. Contudo, é preciso avaliar as necessidades específicas do condomínio.

Em prédios mais novos, um contrato com reposição de peças pode não ser tão vantajoso, já que é menos provável que haja essa necessidade. Já nos mais antigos, é uma boa alternativa. Ainda que o contrato de manutenção saia mais caro, ele garante o valor de qualquer troca. Isso também resulta em consertos rápidos.

O síndico também deve ficar atento às principais cláusulas do contrato. É fundamental certificar-se de que todas elas são justas e não abusivas. Entre os principais pontos, faz-se imprescindível avaliar algumas questões, como:

  • prazo do contrato (longos períodos podem prender o condomínio à empresa, o que nunca é interessante);
  • descrição completa das obrigações da prestadora de serviços;
  • discriminação da frequência de rotinas de manutenção;
  • detalhamento do que é e não é coberto pelo contrato;
  • valores pagos;
  • peças inclusas em trocas (quando for o caso).

Veja como a manutenção se faz importante

A manutenção de elevadores em condomínios tem extrema importância em diversas questões. Ela garante não só o pleno funcionamento de um recurso vital, mas também o controle de custos, a segurança e o acesso de todos os condôminos.

Garantir um bom contrato com uma prestadora de serviços competente é um grande ganho para os síndicos. Boas vantagens são conquistadas, o que se reflete no bem-estar dos moradores e na certeza de que o dia a dia do condomínio não será prejudicado.

A seguir, entenda melhor as vantagens da manutenção de elevadores e o que ela proporciona de positivo quando executada da melhor forma.

Economia de custos

O custo de um elevador é uma das grandes questões discutidas quando ele é o assunto. Naturalmente, eles geram despesas com a manutenção e também com o consumo de energia elétrica. Entretanto, se o prédio precisa dele, são valores que devem ser considerados de qualquer forma.

Uma rotina adequada de manutenção, no entanto, é um ótimo mecanismo de economia. Quanto mais os elevadores estão sob cuidados de pessoas preparadas, menor é o risco de problemas técnicos que geram altos custos. Essas situações emergenciais podem realmente custar caro, e aí sim, gerar muitas despesas.

É fundamental ter um contrato de manutenção que ofereça, pelo menos, uma visita técnica a cada 30 dias. Isso garante que o elevador seja acompanhado de perto. Elas também poderão detectar a necessidade de consertos prévios ou troca de peças. Intervenções do tipo geram menos custos do que uma manutenção emergencial.

Segurança aos passageiros

Outro ponto de muita importância é a segurança dos condôminos enquanto passageiros dos elevadores. Ficar preso dentro deles é uma experiência muito ruim, e o risco é grande quando não há a devida manutenção. Independentemente de equipamentos novos ou antigos, o acompanhamento é fundamental.

O trabalho frequente garante a modernização gradativa do equipamento, o que evita maiores riscos com acidentes ou falhas técnicas. A detecção antecipada de problemas evita que situações que coloquem o passageiro em risco aconteçam. Isso traz mais segurança ao uso diário, mesmo com a alta demanda.

Outra questão muito importante é a interrupção do elevador. A possibilidade de não usar o equipamento gera muitos transtornos. Quando não há uma manutenção adequada, as chances de isso acontecer crescem consideravelmente, atrapalhando muito o cotidiano dos condôminos.

Garantia de acessibilidade

A acessibilidade é um dos pontos que mais ajudam a justificar a necessidade da manutenção de elevadores em condomínios. Os moradores têm diferentes necessidades específicas de locomoção, e esse meio de transporte ajuda todos a terem a possibilidade de ir e vir sem maiores dificuldades.

Idosos e portadores de limitações físicas teriam grandes problemas no dia a dia se não existissem os elevadores. Contudo, pode ser ainda pior se o recurso falhar em algum momento. Contar com o elevador e ele simplesmente não estar disponível pode ser frustrante, impedindo o acesso adequado dessas pessoas.

A manutenção garante que ninguém limite seu deslocamento por conta de possíveis problemas técnicos prolongados. Com bons contratos e o acompanhamento frequente, é possível garantir que pessoas que necessitam desses recursos de acessibilidade os terão.

Entenda os custos da manutenção de elevadores em condomínios

Os valores pagos em um contrato de manutenção podem variar. Diversos fatores são considerados no momento da precificação dos serviços, e eles consideram questões importantes, como:

  • modelo do elevador;
  • ano de fabricação;
  • tempo de uso.

Em média, os contratos costumam custar aos cofres do condomínio cerca de R$ 480 a R$ 700 mensais — isso para aqueles que não contam com reposição de peças inclusas. Os que têm esse benefício são um pouco mais caros, indo de R$ 1.100 a R$ 1.400 mensais.

Os valores são cobrados por equipamento, ou seja, se o condomínio tiver mais de um elevador, pagará esses valores por cada um deles. É fundamental garantir um bom contrato e proteger-se de custos emergenciais, os quais seriam bem mais caros do que esses números apresentados.

Entre as várias demandas de um síndico, a manutenção de elevadores em condomínios é uma das mais importantes. Ela garante segurança, acessibilidade, bem-estar e o controle das despesas.

Seu condomínio vai passar por reformas? Tenha o suporte de um escritório de arquitetura especializado para ter os melhores resultados! Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário