Arquitetura, Dicas, Reformas, Síndicos

Saiba mais sobre a tendência retrofit e como é usado em prédios antigos

novembro 14, 2018
RETROFIT EDIFÍCIO ANTIGO
Tempo de leitura 3 min

Retrofit é um termo, surgido nos Estados Unidos e na Europa, que significa basicamente ‘’renovar o antigo’’. Dessa forma, o ambiente fica mais adaptado às novas atividades desenvolvidas nele e a arquitetura é preservada para a história.

Além disso, atualizar um prédio antigo gasta muito menos do que reformá-lo ou realizar a derrubada para construção de um novo.

Tudo isso torna o retrofit tendência da arquitetura e do design que solucionar uma série de problemas. Então, ficou curioso e quer saber mais sobre como a técnica e como ela é usada? Continue a leitura que te deixaremos informado!

Atualização com sistemas de segurança

É comum que muitas empresas e condomínios escolham fazer o retrofit da parte elétrica e eletrônicas dos seus andares, por meio de um piso elevado em vez de colocar cabeamento pelo forro. Isso acaba sendo benéfico tanto esteticamente, já que os fios ficam embutidos e menos a mostra, além de facilitar os trabalhos de manutenção e instalação dos equipamentos.

Instalação de ar-condicionado e iluminação

Uma outra medida tomada por muitas empresas como finalidade estética na reforma é instalar um forro de gesso para esconder as instalações de ar- condicionado junto com os fios de iluminação.

Mas além disso, já que o ar-condicionado é responsável por gastos de até 50% do consumo de energia elétrica, construir um projeto de sistema de climatização que atenda às recomendações das normas ABNT-NBR 16401 é fundamental.

Com o retrofit, é possível fazer melhorias no conforto térmico e reduzir o consumo de energia, tudo isso por meio de intervenções técnicas. E ainda, é pode-se atualizar os equipamentos e instalações, que abrangem melhorias operacionais por meio da automação das rotinas de supervisão e gerenciamento do prédio.

Modernização da fachada

Nesse caso, é possível fazer uma alteração mais radical, como colocar estruturas metálicas ou trocar os vidros e janelas, ou pode ser realizada uma mudança mais simples, como uma pintura ou a troca de tintas por pastilhas, o que também pode ser considerado retrofit.

Essas intervenções estéticas ocasionam uma maior valorização do imóvel. Porém, fique atento porque para alterar a fachada é preciso de aprovação da prefeitura local.

Reforma da portaria, hall e elevadores

Essa intervenção também possui finalidade estética, que também acaba valorizando mais o patrimônio. Isso inclui melhorar e aprimorar as instalações de um edifício, já que uma simples troca na decoração do hall não constitui o retrofit.

Os condomínios brasileiros devem, por lei, se responsabilizarem pela manutenção de áreas comuns e elevadores. A modernização e otimização do equipamento tende a ocasionar uma redução na energia elétrica de até 40%.

O retrofit também pode ser usado para instalar sistemas de prevenção e combate a incêndio, sistemas de informática e telefonia, programação de andares, substituir fusíveis por disjuntores etc. Tudo isso para que o seu imóvel seja mais valorizado, além de ser também, uma solução para edifícios abandonados ou em péssimas condições de utilização.

O que você achou desse texto sobre a tendência de retrofit? Gostou? Então, compartilhe nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a dominarem esse assunto também!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário