Um condomínio com crianças precisa ter atrativos para elas. O parquinho infantil é uma ótima ideia para divertir e gastar a energia dos pequenos. É possível fazer uma instalação de acordo com o local, oferecendo uma ótima alternativa.

Naturalmente, disponibilizar essa área de lazer requer um planejamento. Os melhores brinquedos, o local onde ele será instalado e também os custos devem ser pensados detalhadamente. Assim, o resultado será o melhor.

Neste post você vai ver como o parquinho pode ser uma boa ideia, entendendo quais preocupações devem ser consideradas antes de providenciar. Confira!

A importância de ter um parquinho infantil no condomínio

As áreas comuns do condomínio são ótimos espaços de interação e diversão, especialmente para crianças. O convívio social ajuda na educação e no desenvolvimento. O parquinho pode ser uma opção muito boa, levando em conta essas questões.

Quem tem filho sabe o quão difícil é conseguir áreas de lazer próximas de casa. Levar as crianças para parques e praças nem sempre é possível, especialmente em dias de semana. Dessa forma, ter uma alternativa no próprio condomínio não parece uma possibilidade interessante?

O cotidiano dos pequenos passa a ser muito mais bem preenchido, já que eles vão brincar e estarão em contato com outras crianças. Tudo isso pode ser aproveitado levando em conta um fator muito importante: a segurança.

O parquinho infantil proporciona momentos divertidos sem que a criança saia do condomínio. Os pais podem ficar tranquilos, sabendo que estão ajudando no desenvolvimento dos seus filhos, sem que isso envolva riscos.

A valorização do condomínio

Quanto melhor a estrutura do condomínio, mais valorizado ele fica. É inegável que montar um parquinho influencia diretamente nisso. Os imóveis aumentam de preço graças às instalações pensadas para toda a família, com uma ótima opção para as crianças.

Para quem tem filhos, chama a atenção ver que o apartamento está em um prédio com uma opção de lazer tão completa. Isso mostra como nem só as crianças saem ganhando com a ideia do parquinho. Acima de tudo, ele é uma intervenção estratégica, que valoriza os imóveis.

Os custos que essa instalação vai gerar

Naturalmente, montar um parquinho infantil gera custos. O primeiro deles é com a compra dos brinquedos e de toda a estrutura necessária, que pode variar de tamanho. Se o espaço disponível é pequeno, é comum que a área de lazer seja menor e, talvez, com brinquedos mais baratos.

Adaptações podem ser necessárias. As obras entram em pauta, caso essa seja a situação. Se for viável e valer a pena, a reforma ajuda a deixar pronto o local escolhido para receber o parquinho. É fundamental sempre pensar na segurança dessas instalações, já que estamos falando de crianças.

Por fim, os custos não param após a montagem dos equipamentos. É preciso realizar a manutenção frequente, garantindo a integridade dos pequenos. A ação do tempo é um fator, então depois de algum período de uso será necessário trocar os brinquedos.

Quanto melhor for a manutenção, mais tempo a estrutura vai durar. Os custos também sofrem influência, diminuindo quando com um trabalho de preservação com os brinquedos.

As preocupações ao montar o parquinho

É hora de saber como montar e administrar o parquinho! Agora que você já viu como ele pode ser importante, toda atenção deve ser voltada às boas práticas e recomendações úteis. Da escolha do material até as regras de uso, tudo fará diferença para o sucesso das instalações.

Escolha o material adequado para as estruturas

Essa é uma etapa muito importante. O melhor material vai garantir, primeiramente, a segurança dos pequenos. Uma estrutura sólida e duradoura vai resistir ao impacto da energia da criançada. Além disso, a qualidade interfere na longevidade dos brinquedos.

Entre os principais materiais, você encontrará estruturas de ferro, madeira e plástico. A NBR 16.071, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), dispõe sobre as melhores escolhas, considerando a saúde e a segurança das crianças.

Os pisos também merecem atenção, sendo escolhidos pensando na absorção de impactos. Pode ser usada a areia, assim como a grama sintética e o emborrachado.

Defina os melhores brinquedos (escorregador, balanços, gangorras, piscina de bolinhas)

É preciso pensar também nos brinquedos mais legais para os pequenos! Você pode fazer uma interessante mescla entre o que tem um parque tradicional e brinquedos mais modernos e divertidos.

Entre os indispensáveis, estão:

  • escorregador;
  • balanço;
  • gangorra;
  • castelinho.

Uma excelente opção é a piscina de bolinhas, voltada para as crianças menores. Você também deve oferecer opções para as diferentes idades, sempre indicando para qual faixa etária é recomendado.

Priorize a segurança do espaço

A NBR 16.071 também dispõe orientações sobre segurança. É importante que as crianças aproveitem o parquinho sem se machucar ou correr nenhum risco. Para isso, pratique rotinas de inspeção, identificando se há falhas ou problemas de estrutura.

Além disso, disponha os brinquedos com um espaçamento mínimo de 1,30 m. Isso garante que as crianças possam transitar com mais tranquilidade no espaço. O parquinho infantil, se possível, também deve ficar longe da área de trânsito de carros. Cerque o espaço de modo que esse controle seja possível.

Defina as regras de uso e convivência

As regras são indispensáveis para que tudo funcione bem. Elas vão proporcionar a integridade das crianças, o respeito na convivência e a conservação dos brinquedos por mais tempo. Portanto, defina as orientações e as disponibilize para todos os condôminos.

Não deixe de confeccionar placas para a área de lazer. É importante sempre reforçar o cumprimento das regras. Determine as faixas etárias para os brinquedos, as orientações de uso e a importância de compartilhar o uso de toda a estrutura.

Fazer isso antecipadamente evita problemas, uma vez que a orientação também passa a ser responsabilidade dos pais. Se eles sabem as regras, precisam repassar aos pequenos.

A ajuda de profissionais arquitetos

O arquiteto é de grande ajuda na hora de montar o seu parquinho! Ele é o profissional capacitado para aproveitar o espaço da melhor forma. Assim, é possível ter uma projeção segura e eficiente da área onde as estruturas serão montadas.

Você pode entrar em contato com um escritório de arquitetura para esse trabalho. Há empresas especializadas em projetos e reformas para edifícios de condomínio.

O parquinho infantil é uma ótima ideia! Se você tem essa possibilidade no seu condomínio, por que não fazer? Não se esqueça de votar em reunião antes, especialmente por conta do investimento necessário. Ressalte também o quanto ele ajuda a valorizar os imóveis.

As áreas comuns realmente têm muito valor no condomínio! Caso você queira se aprofundar no assunto, confira 4 dicas fundamentais para gerir esses espaços com competência.

Fernando Rolim

Desenhista nas horas vagas, sempre planeja suas viagens baseadas em roteiros arquitetônicos.

Sem Comentários